Meu livro querido!

Meu livro querido!

sábado, 23 de julho de 2011

O SENTIDO CONOTATIVO DAS PALAVRAS

            Quando empregamos uma palavra no setido que ela normalmente tem, estamos fazendo uso da denotação (ou sentido denotativo, real). Na maior parte das vezes, essa é a aplicação que fazemos das palavras. Por outro lado, quando empregamos uma palavra fora do se sentido normal, estamos fazendo uso da conotação (ou sentido conotativo, figurado). Compare estes dois exemplos:

1- Naquela noite, o fogo queimou boa parte da floresta .
2- O fogo da paixão me consumia.

            Na frase 1, palavra fogo está em sentido denotativo, pois é o resultado do encontro de combustível, comburente e oxigênio. Já na frase 2, tal palavra está em sentido conotativo: é a sensação de ardência que sentimos e que, por força de expressão, comparamos com o calor do fogo.
            No dia a dia, encontramos muitas situações em que se percebe o uso da linguagem conotativa. E, como a Bíblia relata fatos também do cotidiano das pessoas, nela há um vasto uso de palavras com sentido conotativo. Veja alguns exemplos:

“...vistam-se de vergonha e de confusão os que se engrandecem contra mim.” (Sl.35.26)
(As vestimentas que usamos são visíveis por todos. Vestir-se de vergonha significa, então, que todos saberão que determinada pessoa cometeu atos vergonhosos.)

“Eis que te purifiquei, mas não como a prata: provei-te na fornalha da aflição.” (Is.48.10)
(Fornalha é um lugar extremamente quente, no qual ninguém deseja entrar. Quem entra numa fornalha, se porventura sair vivo, jamais se esquecerá da experiência vivida. Da mesma forma, os momentos de aflição ficam guardados para sempre na vida de uma pessoa.)

Lavrastes a impiedade, segastes a perversidade...” (Os.10.13)
(Este versículo refere-se ao comportamento do povo de Israel. As conotações aqui empregadas evidenciam que eles agiram de forma não agradável a Deus, ou seja, fizeram maldades pelas quais serão castigados.)

“Suave é ao homem o pão da mentira, mas depois a sua boca se encherá de pedrinhas de areia.” (Pv.20.17)
(Pão é um alimento, portanto o provérbio quer dizer que há pessoas que se “alimentam” de mentira. Mas as consequências desse ato são desagradáveis, assim como é desagradável ter pedrinhas de areia dentro da boca.)

            Há casos em que se usa uma expressão conotativa e na mesma hora se explica o seu significado, para não deixar margem para interpretações diferentes. É o que ocorre no versículo abaixo:

“Eis que vêm dias, diz o Senhor Jeová, em que enviarei fome sobre a terra, não fome de pão, nem sede de água, mas de ouvir as palavras do Senhor.” (Am.8.11)
(Ao falar que enviaria fome sobre a terra, o profeta achou que tal palavra poderia ser tomada em seu sentido denotativo, que é fome de alimento. Para evitar esse entendimento equivocado, ele achou melhor esclarecer de que tipo de fome estava falando.)

            Na passagem a seguir, Cristo empregou o verbo nascer no sentido conotativo e, como Nicodemos entendeu em sentido denotativo, o Mestre lhe esclareceu o verdadeiro sentido.


“Jesus respondeu, e disse-lhe: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus. Disse-lhe Nicodemos: Como pode um homem nascer, sendo velho? Porventura pode tornar a entrar no ventre de sua mãe, e nascer? Jesus respondeu: Na verdade, na verdade, te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus.” (Jo.3.3-5)

            Certas palavras, ao serem usadas conotativamente, podem adquirir sentido positivo ou negativo. Veja:

É preciso estreitarmos os laços familiares.
(Sentido positivo: laços = união, convivência)

“Guarda-me dos laços que me armaram; e dos laços corrediços dos que praticam a iniquidade.” (Sl.141.9)
(Sentido negativo: laços = armadilhas para prejudicar alguém)

O sentido conotativo das palavras é também chamado de metáfora.

Por ora é só!

4 comentários:

  1. Respostas
    1. Obrigado pela participação, Felippo! Abraço!

      Excluir
  2. na passagem do nascer de novo... Jesus explicou um nascer, diferente do parto. Mas não deixa de ser um nascimento, ainda que espiritual. existe essa denotatividade? já que no plano espiritual, esse nascer é "real"?

    ResponderExcluir
  3. Parabéns meu amigo! Esperamos o lançamento do seu livro.

    ResponderExcluir